Em nossa reunião do dia 20/10/2015, o Momento Rotário foi marcado por um alerta que deve mover todos os companheiros em busca do fortalecimento do quadro associativo.

Excelente reflexão!

“É hora de crescermos. Não há dúvida nenhuma quanto a isto. Estamos vivendo um momento muito difícil para o rotarismo brasileiro: praticamente a metade dos nossos clubes está com menos de 20 associados.

Precisamos pontuar os prováveis motivos e consequências dessa crise. Analisando os números dos últimos 10 anos, 95% dos clubes que foram fechados no Brasil estavam com menos de 20 associados. Só este motivo seria o bastante para crescermos. Este fato mostra que clubes com menos de 20 associados se tornam mais frágeis e suscetíveis a passarem por grandes problemas.

É claro que um clube com menos de 20 associados é capaz de fazer um belo trabalho em sua comunidade, prestando grandes serviços e fazendo a diferença para os que necessitam – às vezes, mais até do que grandes clubes que só se importam com o companheirismo.

Mas não é disto que estamos falando. Falamos, com base em fatos, que 95% dos clubes brasileiros que fecharam nos últimos 10 anos estavam com menos de 20 associados, e que praticamente a metade dos Rotary Clubs do país tem menos de 20 associados. É grave ou não? Contra fatos e números não existem argumentos.

Se seu clube tem menos de 20 rotarianos e faz um belo trabalho pela sociedade, ele seria ainda melhor se esse número aumentasse. Você concorda que com mais associados seria mais fácil montar suas comissões e o conselho diretor?

Concorda que o trabalho poderia ser dividido entre mais companheiros, sem pesar tanto para ninguém? Que a representatividade da sociedade estaria bem maior, já que o clube teria outras pessoas com classificações diferentes das que existem hoje em dia, aumentando o conhecimento em várias áreas e projetos a serem desenvolvidos por vocês?

Isso sem falar no aspecto financeiro: com maior disponibilidade de receitas, seu clube poderia contratar uma secretária executiva ou ter uma mínima estrutura administrativa, por exemplo.

Mas, acima de tudo, para fazermos um Rotary melhor e resolvermos nosso maior problema relativo ao desenvolvimento do quadro associativo, que é a retenção, precisamos fazer um Rotary com prazer e paixão.

Precisamos ser proativos e trabalhar com foco no servir. Vocês concordam? Então vamos crescer? Vamos dar a outras pessoas a oportunidade de conhecer essa organização que tanto amamos? Espero que cada um de vocês compreenda a responsabilidade e o direito de trazer novos companheiros para o Rotary.

Aproveito para alertar os presidentes de clube sobre o problema do pagamento da per capita do Rotary International, cujo prazo passou de seis para quatro meses.

Em 10 de setembro, faltando 50 dias para o fim do prazo e o imediato fechamento dos clubes, na minha Zona 22 B havia 242 clubes com a per capita em aberto. Havia distritos com 37 clubes sem esse pagamento – clubes que poderiam ser fechados em 1º de novembro. É normal isto?”

Fonte: Revista Brasil Rotário

Participe! deixe aqui seu comentário!

participações