Griffe é a marca que muda não a natureza material, mas a natureza social do objeto. (BOURDIEU, 1983)

O Momento Rotário da reunião de 10/05/2016, preparado pelo companheiro Rodney Guazzelli, nos trouxe a origem do símbolo do Rotary.
Vamos relembrar as ricas informações, que nos foram passadas com base no texto de Wilson Talhufar?
A roda dentada do ROTARY é um dos símbolos mais conhecidos no mundo. Mas, durante muitos anos, não havia um emblema padrão. E como era? Vamos contar a história…

ROTARY é uma organização internacional de profissionais e de pessoas de negócios, líderes em suas áreas de atuação, que prestam serviços humanitários, fomentam elevado padrão de ética em todas as profissões e ajudam a estabelecer a paz e a boa vontade no mundo.

O Rotary foi fundado pelo advogado Paul P.Harris, em Chicago, Estados Unidos da América, em 23/02/1905, quando idealizou um local onde os profissionais com diversas formações poderiam trocar ideias e formar significativas amizades duradouras.
O Rotary é membro permanente das Nações Unidas (ONU), uma entidade internacional de caráter político, uma Assembleia Internacional de Países e só tem três membros que não são países, mas que, pela sua importância, têm assento naquela Assembleia: a Cruz Vermelha, o Vaticano e o Rotary.

De volta à concepção do emblema do Rotary

O desenho básico do primeiro emblema data de 1905, ano em que foi organizado o primeiro Rotary Club na cidade de Chicago, EUA. Poucas semanas depois de formado o clube, os sócios se reuniram para discutir o desenho de um emblema que pudesse simbolizar o caráter de sua recém-formada entidade. A primeira ideia, atribuída ao seu fundados, Paul Harris, era a de um símbolo que teria um formado redondo, cíclico, como uma roda que simbolizaria a civilização e o movimento.
O membro escolhido para projetar a primeira insígnia do Rotary foi Montague M.Bear, um membro do Rotary Club de Chicago, que era tipógrafo-gravador.
O “Monty”, como era conhecido Montague por seus companheiros rotarianos, entrou em Rotary Club de Chicago, em 1905. Por causa de sua classificação laboral, seus companheiros solicitaram-lhe que elaborasse um emblema para a organização. Ele deu-lhe um esboço de uma simples roda de carruagem – um projeto básico. Os membros associados rejeitaram sua primeira ideia – uma roda simples – por considera-la sem vida e sem sentido.

Primeiro símbolo do Rotary Club de Chicago, criado por Montague M.Bear, 1905

Primeiro símbolo do Rotary Club de Chicago, criado por Montague M.Bear, 1905

 

Para dar aparência de ação/movimento, Montague acrescentou nuvens de poeira à frente e atrás da roda e acrescentou as palavras “Rotary Club” acima dela.

Segundo símbolo do Rotary Club de Chicago, Montague, 1906

Segundo símbolo do Rotary Club de Chicago, Montague, 1906

 

O segundo emblema também foi rejeitado. O rotariano Tom Philips, fabricante de lanternas, comentou que “nem mesmo o Rotary poderia fazer levantar poeira na frente e atrás da roda ao mesmo tempo”. E, assim, mais uma vez, o desenho foi modificado. Foi então que Monty acrescentou mais nuvens e adicionou uma fita com a inscrição “Rotary Club”, na frente da roda.

Durante esse tempo, outros Rotary Clubs estavam sendo organizados em São Francisco, Oakland, Nova Iorque e em outros centros metropolitanos dos EUA.

Emblema rotariano, 1910

Emblema rotariano, 1910

 

Com o crescente número de Rotary Clubs espalhados pelos EUA, era necessária a formulação de convenções nacionais.

Na convenção nacional de 1911, em Portland, EUA, foi sugerido que os delegados adotassem um emblema padrão, com base na roda, que se tornasse o emblema globalmente aceito nos Rotary Clubs.

O Conselho de Administração nomeou uma comissão para ser elaborado um design padrão. Todo mundo ficou espantado com a rapidez com que a comissão agiu, pois ela foi nomeada em agosto e o emblema ficou pronto em setembro. Tudo o que fizeram foi, então, nomear o emblema utilizado pelo Rotary Club de Philadelphia, EUA.

Este havia sido fundado em 1912 como o 19º clube do mundo. Os rotarianos de Philadelphia achavam que o projeto da roda de carroça de Chicago não transmitia a ideia de Rotary muito bem.

Foi então que eles acrescentaram engrenagens para criar uma roda/engrenagem de trabalho, simbolizando os membros que trabalham juntos, literalmente entrelaçados uns com os outros para alcançar os objetivos da organização. Eles utilizaram 19 engrenagens em honra aos fundadores de seu clube.

Emblema de 1912, criado pelo Rotary Club de Philadelphia, EUA

Emblema de 1912, criado pelo Rotary Club de Philadelphia, EUA

 

O Rotary Club de Philadelphia, Pensilvânia, EUA, começou a produzir broches de metal em 1912 com este emblema para que os seus membros adornassem seus casacos. Os milhões de pins usados pelos rotarianos em todo mundo tiveram a sua gênese na mente de um presidente de clube, Glenn C. Mead, joalheiro na Philadelphia.

A convenção do Rotary de 1912 em Duluth, Minnesota, EUA, aprovou o emblema elaborado pela Philadelphia para toda a organização Rotary. Para assegurar a uniformidade, o nome do clube foi substituído pelo nome da associação: Rotary International.

O presidente do clube da Philadelphia – que havia projetado o emblema do clube – tornou-se Presidente da Associação Internacional de Rotary Clubs na convenção de Duluth.

Mesmo após a aprovação do emblema do Rotary, em convenção, ainda havia divergências no projeto do emblema. Muitos clubes norte-americanos ainda tinham a sua própria roda. Algumas rodas tinham 8 raios, outras 10. O mesmo ocorria com os dentes das rodas dentadas: algumas rodas tinham 16, outras 20, etc.

Em 1919, a falta de padronização ficou comprovada, ao observar-se que o raio do emblema Rotary, na capa da revista The Rotarian tinha 19 engrenagens, a princípio, 20 na capa de maio e 27 na de junho.

Em 1918, um engenheiro rotariano de Minnesota pediu ao Rotary a alteração do design da roda. Ele dizia que uma roda dentada com 19 engrenagens não iria funcionar, pois o emblema tinha dentes quadrados encurralados de tamanho desproporcional e que as engrenagens foram irregularmente espaçadas.

Este rotariano, Oscar B. Jorge, disse que o emblema era “um insulto à engenharia que só o cérebro de um artista poderia conceber”. Assim, ele esboçou um novo emblema, com seus raios – simbolizando os 6 objetivos de Rotary à época – e 24 dentes.

Ele também acrescentou uma chaveta, que trava a roda para um hub, simbolizando, assim, em suas palavras, “um trabalhador e não um ocioso”.

Emblema de Oscar B. Jorge, 1920

Emblema de Oscar B. Jorge, 1920

 

Em 1928, as especificações exatas deste engenheiro foram descritas no Manual de Procedimento, aprovado em 1929 na convenção de Dallas. As especificações não foram alteradas desde então.

braganca-estancia-origem-simbolo-rotary6

 

E assim, o símbolo do Rotary, que circunda o mundo com as suas engrenagens e significados, é atualmente reconhecido por todos.

 

A nova identidade visual do Rotary

Em 2011, embarcamos em uma iniciativa inédita para fortalecer a nossa imagem. Além de gerar melhor compreensão do público externo sobre o que o Rotary faz, queremos motivar, envolver e inspirar atuais e futuros associados, doadores, parceiros estratégicos e funcionários.

A iniciativa para fortalecer o Rotary vai muito além da nossa identidade visual. Ela oferece uma nova maneira de contar a história rotária.

“Você tem que atrair a atenção das pessoas”, disse o então Presidente de Rotary Iinternational, Ron  Burton sobre a nova voz e identidade. “Quando as pessoas passam a prestar atenção em você, você ganha o coração delas.”

 

braganca-estancia-origem-simbolo-rotary7

 

Assim, depende de todos nós proteger, promover e vivenciar a marca sempre que interagimos com os outros.

Por meio de uma imagem unificada, estamos ressaltando nossa reputação e a experiência com o Rotary.

Nova identidade visual do Rotary

Nova identidade visual do Rotary

Participe! deixe aqui seu comentário!

participações